CONTADOR DE VISITAS




Google+ Followers

Seguidores

Poema ao acaso

Poema ao acaso

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Entre os meus guardados


Não estou limitada ao tempo e ao espaço

Quando preciso, removo as traças de minhas asas

Burrifo nelas o óleo da contemplação

Há muito aprendi a voar

Meus devaneios que o digam

Nenhum comentário:

Postar um comentário